sábado, 10 de agosto de 2013

Blogagem coletiva: Porquê eu sou ativista da amamentação?



Nos dias atuais a dificuldade das mães modernas é o tempo, onde  às 24 horas não bastam. Parar para amamentar "Stop All", é considerado tempo ocioso para essas mães, interiorizadas em um mundo Globalizado, celularizado, internetizado, onde estar parado é,  um estado contra producente.
 E assim em um grupo de dez gestantes entre 20 a 35 anos, com encontros mensais e muita comilança, todos os assuntos eram abordados com palestras ,debates, bate papos . Pode-se dizer que era um grupo de compartilhamento.  A equipe era formada por: uma psicóloga, uma pastora, uma pedagoga, uma enfermeira e cinco colaboradoras.

Quando a mulher gera uma nova vida, ela ainda esta ativa para o mundo em que vive. A gestação é um movimento evolutivo, que torna seu corpo dinâmico. Cada dia é uma novidade, uma aventura diferente, novos desafios, cada mês é uma alegria, uma falação, tantas novidades, “zilhões de coisas” para contar,  mas ao término da gestação, entra o ato de amamentar , então as reuniões tornaram-se queixosas, tristes, o relacionamento de alguns casais estava abalado, elas não tinham mais tempo pra nada, porque quando o neném quer mamar, tudo para, o mundo para, o sexo para, a vaidade para ,a vida para, só existe um movimento de sucção. O grupo dividiu-se em gestantes e amamentadoras e as dificuldades eram grandes.  O tempo de amamentação era visto como ocioso por todas. Por esses parâmetros apresentados, nas palestras sobre amamentação  foi introduzido o tema,  “ O TEMPO”.

Em um circulo de gestantes e amamentadoras foi lançada as perguntas sobre o Tempo, para  debate.

  • Qual a lembrança mais nítida que você tem: o tempo de gestação ou a amamentação?
  • O que te deu mais prazer ficar nove meses grávida ou amamentar?
  • “Quando o neném quer mamar.” Tudo para, o mundo para, você para, só existe o movimento de sucção?
  • E quando não for o primeiro filho, parar é possível?
  • Amamentar é um Ato de Amor ou um Ato Altruísta?

Todas se lembraram da gravidez  desde o dia que acharam  que estavam grávidas, à confirmação, as mudanças  durante os meses , os desejos ,as emoções à flor da pele, os enjoos , o parto, a recuperação e a involução do corpo após a gravidez . E para quem tinha mais de um filho  souberam  precisar as diferenças de cada  gravidez. 
A melhor fase era andar com aquele barrigão, porem não se lembraram dos   aleitamentos , só quando doía , empedrava ou o bico rachava. A lembrança da amamentação vem dos filhos, cada um com suas particularidades, quanto tempo mamava, quantos quilos ganhou mês a mês, quanto tempo mamou .
Conheciam seus filhos, mas não foram direcionadas  a observar o próprio  corpo no aleitamento, a atitude na hora da mamada, o psicológico, em como dividir seu mundo com a hora da mamada.
E a conclusão foi unânime, o que  deu mais prazer “para si”, foi a gravidez e a amamentação deu responsabilidade, maturidade e comprometimento .
Entre o amor e o altruísmo, tornou-se  um direcionamento personalizado,uma singularidade, uma particularidade, afinal quem amamenta é um ser  com uma direção única particular.
E a conscientização da amamentação  para esse debate foi : “O que é bom pra você  pode não ser para o outro, e esse outro pode estar incluído seu bebe.”
E nessa dialética voltar o olhar para a amamentação, não introduzir nenhum alimento antes dos seis meses de vida do seu bebê. Não perca tempo fazendo, ou esquentando, seu leite já está pronto. Ganhe tempo amamente.

Por isso que sou ativista da amamentação.
Tenho três filhos e amamentei os três, mas sem a consciência do meu aleitamento e do tempo. Fiz tudo por instinto.
Esse grupo me marcou para toda vida. Direcionei  o olhar alem do ato mecânico de dar o peito. Com esse post tentei passar a minha experiência com esse grupo, muitos trabalham diretamente com aleitamento materno, e agora todos sabem colocar em pratica o Tempo e direcionar os caminhos para uma amamentação humanizada.

A mãe é um ser tão frágil quanto seu bebê.
Amamentar tem que ser um prazer para mãe e para o neném.


Para não ficar só no cognitivo, na pagina da Fiocruz tem um álbum com orientações  técnicas sobre o aleitamento materno. 
 Segue o link.
http://www.fiocruz.br/redeblh/media/albam.pdf

Bjus Grandes para todos.



 (I Corintios 13:2)E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios  e toda a ciência  e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 

Viva sua vida de forma que quando você morrer, o mundo chore e você se alegre." (Autor desconhecido).
...
...