sábado, 22 de junho de 2013

POODLE. Crueldade se aprende em casa.


 Pastor Isaías Marcello , e-mail de contato; mencionou um vídeo de um filhotinho de Poodle sendo maltratado pela mãe e seu filho.

Objetivando que os maus tratos têm alcançado níveis de crueldade indescritíveis, a cada dia o ser humano aperfeiçoa a pratica da dor no outro, se afastando dessa maneira mais dos ensinamentos do Cristo, sendo que o tema da Pregação foi: Decálogo da Simplicidade, ou seja, dez maneiras de você se manter equilibrado nos princípios  de Jesus.

 Como o ser humano é um animal mais curioso que o “gato”, é claro que quando cheguei  à casa fui dar uma olhada em tal vídeo. Realmente são cenas de crueldade domestica barbaras, pois quem projeta seu poder no mais fraco, com tendências sadistas, esta abrindo precedentes a tênue linha entre a vida e a morte.
Quando vi o vídeo, já existia outro com o depoimento do homem que filmou as cenas de crueldade, mostrando o cachorrinho bem e saudável com ele e sua família. Esse teve um final feliz. Amém.

Enquanto pesquisava pela net, encontrei uma reflexão que vale a pena à releitura.
 Fala da simplicidade das ações de uma criança em relação a outro ser que tem os mesmos problemas físicos dele e assim por compartilharem as mesmas dificuldades ele pode compreendê-lo melhor do que outro menino. E a questão do dinheiro também para o dono da loja o cachorrinho não vale o preço dos outros, mas para o menino não tem diferença. São questões complexas tratadas pelo olhar de uma criança.


 Videos:

Tortura do cachorrinho: 
verdade gospel

Recuperação e Adoção: 
gazeta on line

Reflexão::

 O cãozinho perfeito. 
 Diante de uma vitrine atrativa, um menino pergunta o preço dos filhotes 'a venda. "Entre 30 e 50 dólares", respondeu o dono da loja.
 O menino puxou uns trocados do bolso e disse: - "Eu só tenho 2,37 dólares, mas eu posso ver os filhotes?"
 O dono da loja sorriu e chamou Lady, que veio correndo, seguida de cinco bolinhas de pelo.
Um dos cachorrinhos vinha mais atrás, mancando de forma visível. Imediatamente o menino apontou aquele cachorrinho e perguntou: - "O que é que ha com ele?"
 O dono da loja explicou que o veterinário tinha examinado e descoberto que ele tinha um problema na junta do quadril, sempre mancaria e andaria devagar.
 O menino se animou e disse: - "Esse é o cachorrinho que eu quero comprar!"
 O dono da loja respondeu: - "Não, você não vai querer comprar esse. Se você realmente quiser ficar com ele, eu lhe dou de presente."
 O menino ficou transtornado e, olhando bem na rosto do dono da loja, com o seu dedo apontado, disse: - "Eu não quero que você o de para mim.
Aquele cachorrinho vale tanto quanto qualquer um dos outros e eu vou pagar tudo.
Na verdade, eu lhe dou 2,37 dólares agora e 50 centavos por mês, ate completar o preço total."
 O dono da loja contestou: - "Você não pode querer realmente comprar este cachorrinho. Ele nunca vai poder correr, pular e brincar com você e como os outros cachorrinhos."
 Ai', o menino abaixou e puxou a perna esquerda da calca para cima, mostrando a sua perna com um aparelho para andar.
 Olhou bem para o dono da loja e respondeu: - "Bom, eu também não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de alguém que entenda isso."




Mas Jesus chamou a si as crianças e disse: "Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. 
 Digo a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele. 
(Lucas 18:16-17).



Viva sua vida de forma que quando você morrer, o mundo chore e você se alegre." (Autor desconhecido)


...

Um comentário:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir

VIVA VIDA!
VIDA VIVA!